Biodiversidade

A Natureza está longe de ser ilimitada. Mais de metade do PIB mundial depende de capital natural, o que significa que o nosso bem-estar e modelo de desenvolvimento estão profundamente vinculados e dependentes da natureza. Por esta razão, a par do aquecimento global, a preservação da biodiversidade e dos serviços de ecossistemas é um dos mais importantes desafios que a sociedade atualmente enfrenta.

O conceito de capital natural entende-se pelo stock de ativos naturais, que engloba a água, o solo, o ar, os oceanos, os ecossistemas e a biodiversidade neles envolvente, de onde fluem uma série de benefícios vitais para o bem-estar humano e para uma economia de qualidade e sustentável. A estes benefícios é dada a designação de serviços de ecossistemas, que se dividem transversalmente em quatro categorias principais: 

  • Serviços de Provisão – correspondem a bens e recursos materiais dos ecossistemas, que podem ser diretamente consumidos ou transformados para consumo pelo homem (ex. alimentos e madeira);
  • Serviços de Regulação – inclui os benefícios gerados pelos processos e funções de manutenção e regulação dos ecossistemas (ex. proteção face a incêndios ou a regulação climática);
  • Serviços Culturais – compreende os benefícios não-materiais e que resultam da interação física e/ou mental entre o homem e a natureza (ex. experiências de recreio, estética, enriquecimento espiritual);
  • Serviços de Suporte – referem-se aos resultados dos processos e funções básicas da biodiversidade (ex. ciclo de nutrientes, manutenção de habitat).

 O reconhecimento de que o capital natural é finito eleva a necessidade de desenvolver e expandir soluções que protejam, restaurem, e gerenciem de forma sustentável os ativos naturais, e que simultaneamente abordem os desafios da sociedade de forma eficaz e adaptativa. A estas soluções dá-se o termo de Nature-based solutions (soluções de base biológica).

O Pacto Ecológico Europeu, apresentado há cerca de um ano, coloca a preservação e a recuperação do capital natural no centro da agenda política europeia e destaca a urgência da transição para um novo paradigma de desenvolvimento, o qual deve aliar os princípios da Bioeconomia aos valores fomentados pela Economia Circular – a Bioeconomia Circular – pelo seu potencial de assumir um papel de relevo em três vertentes cruciais: uso sustentável de recursos, procura crescente de alimentos e energia e dissociação entre crescimento económico e degradação ambiental. 

 Assim, se não formos capazes de integrar e valorizar devidamente o capital natural, a biodiversidade e os serviços dos ecossistemas nas cadeias de valor das empresas e nos nossos estilos de vida, estaremos a comprometer seriamente o futuro do planeta.

Saiba mais sobre legislação e standards internacionais na área de Biodiversidade

Grupo de Trabalho

Qual o papel do Grupo de Trabalho nesta área

De modo a introduzir e a capacitar as empresas para a transição necessária, o Grupo de Trabalho de Biodiversidade foi criado para ajudar as empresas a compreenderem melhor a sua relação com a natureza, nomeadamente através da identificação e reconhecimento da importância do capital natural nos seus ativos financeiros, da promoção de uma bioeconomia sustentável e circular, e estimulando o compromisso das empresas para reverter a perda de biodiversidade e a degradação dos ecossistemas.

Objetivos 2021

  • Desenvolver e acompanhar a iniciativa act4nature Portugal, um call to action para estimular a proteção, promoção e restauro da biodiversidade e dos ecossistemas naturais pelas empresas portuguesas.
  • Desenvolver recursos que contribuem para apoiar as empresas na jornada para a integração da biodiversidade e dos serviços dos ecossistemas na estratégia corporativa.
A adesão aos Grupos de Trabalho do BCSD Portugal é exclusiva para empresas associadas.

Projetos

act4nature Portugal

O act4nature Portugal é uma iniciativa promovida pelo BCSD Portugal no âmbito da act4nature international, lançada em França, em 2018, com o objetivo de mobilizar as empresas a proteger, promover e restaurar a biodiversidade.

O lançamento desta iniciativa em Portugal integra-se nos compromissos assumidos pelo BCSD Portugal, em 2019, ao integrar a coligação Business for Nature, incluem o objetivo de envolver as empresas em compromissos que contribuam para reverter a perda de biodiversidade a nível global.

Qualquer empresa, associada ou não associada do BCSD Portugal, de qualquer dimensão ou setor de atividade pode aderir.

Conheça casos de estudo de Capital Natural nas empresas

Outras Áreas de Trabalho