BCSD Portugal junta-se à campanha “O Futuro dos oceanos é também o nosso”

O BCSD Portugal junta-se à campanha de comunicação promovida pela ANP|WWF que alerta para a urgência de proteger e recuperar o oceano, que é co-financiada pela Fundação Oceano Azul no âmbito de capacitação para ONG, e co-assinada também pela Assistência Médica Internacional (AMI) e a Sustainable Ocean Alliance (SOA).

O BCSD Portugal junta-se à campanha promovida pela ANP|WWF, e criada pela FCB Lisboa, no âmbito da Conferência dos Oceanos 2022 das Nações Unidas. Esta campanha conta ainda com o apoio da Assistência Médica Internacional (AMI) e da Sustainable Ocean Alliance (SOA). 

O BCSD Portugal junta-se à campanha de comunicação promovida pela ANP|WWF que alerta para a urgência de proteger e recuperar o oceano, que é co-financiada pela Fundação Oceano Azul no âmbito de capacitação para ONG, e co-assinada também pela Assistência Médica Internacional (AMI) e a Sustainable Ocean Alliance (SOA). Criada pela FCB Lisboa, a campanha pretende definir-se como um instrumento de pressão pública e política no âmbito da Conferência dos Oceanos 2022 das Nações Unidas. O conceito resgata memórias marcantes da Expo ’98, a última grande ação pública e governamental que conseguiu colocar a proteção do Oceano no centro da atenção mediática em Portugal.

O objetivo-chave desta campanha é recuperar os laços emocionais e conexões com o Oceano, com um conceito gráfico que leva o público a identificar claramente cenários projetados para duas realidades muito distintas: o cenário onde há ação para a proteção e recuperação do Oceano; e o cenário de inação que leva à degradação e perda da biodiversidade. Através de formatos impressos e digitais, o público poderá aceder à página https://www.oceanactionnow.org/ e interagir com as várias áreas de intervenção: da liderança e políticas públicas, às atividades económicas, valores culturais e legados geracionais.

João Wengorovius Meneses, Secretário-Geral do BCSD Portugal, afirma que “Quando +50% do PIB mundial tem origem em recursos naturais e mais de 70% da superfície terrestre é coberta por oceanos, percebemos a magnitude da nossa dependência da biodiversidade marinha e costeira e, ainda, dos serviços de ecossistemas por eles prestados, como o ar que respiramos, a absorção do CO2 que produzimos ou a fonte de alimentos que consumimos. É preciso agir aqui e agora em prol da redução da poluição marinha, da acidificação dos oceanos e da pesca excessiva, mobilizando os setores privado e público, fontes de financiamento, políticas públicas e a sociedade em geral”, acrescenta.

Ângela Morgado, Diretora Executiva da ANP|WWF, explica que “o Oceano produz mais de 50% do oxigénio que respiramos. Para construir um futuro positivo para a natureza, é urgente proteger, restaurar e usufruir do Oceano de uma forma responsável e sustentável. Esta missão urgente exige que os governos, as empresas e a sociedade no seu conjunto passem das palavras aos atos, e é esse o apelo que fazemos com esta campanha e que vamos reforçar enquanto organização creditada na Conferência dos Oceanos das Nações Unidas”.

O Oceano é o sistema de suporte de vida do nosso planeta, cobrindo 71% da superfície da Terra e sustentando toda a vida. Co-organizada pelos Governos do Quénia e Portugal, a 2.ª Conferência dos Oceanos das Nações Unidas surge num ponto de viragem no cumprimento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14: Conservar e usar de forma sustentável os oceanos, mares e os recursos marinhos.

A campanha terá uma presença reforçada no Centro Comercial Colombo, em Lisboa, com uma instalação que traz para o domínio da interação offline a ideia da landing page. Através de uma estrutura composta por vários painéis acrílicos, os visitantes poderão interagir com a ideia de ação/inação, “libertando” o Oceano dos elementos nocivos.

Esta iniciativa é uma das iniciativas à qual o BCSD Portugal se junta no âmbito da Conferência dos Oceanos das Nações Unidas a acontecer em Lisboa durante a próxima semana.

Continue a ler

A prioridade social

Os desafios sociais são os mais complexos por sermos hoje no planeta quase oito mil milhões de pessoas e cada uma ter a expetativa...
Carregar mais artigos